Introdução ao regime de competência: o que é receita acumulada e como gerenciá-la

Billing
Billing

Com o Stripe Billing, você cobra e gerencia os clientes como quiser, seja com faturas recorrentes ou faturamento por uso e contratos negociados por vendas.

Saiba mais 
  1. Introdução
  2. O que é receita acumulada?
  3. Qual é o princípio do regime de competência?
  4. Qual é a diferença entre receita acumulada e contas a receber?
  5. Receita acumulada vs. receita diferida
  6. A receita acumulada é um ativo ou um passivo?
  7. Exemplos de receita acumulada
  8. Como registrar receita acumulada
    1. 1. Identificar a receita
    2. 2. Criar entrada no balanço patrimonial
    3. 3. Atualizar as demonstrações financeiras
    4. 4. Enviar a fatura ao cliente
    5. 5. Registrar o pagamento

A contabilização da receita comercial pode parecer direta: você precisa documentar quanto dinheiro está entrando, o que você está vendendo para recebê-lo e quando essa troca ocorre. Mas a reconciliação de receitas raramente é simples assim. Na verdade, de acordo com o nosso estudo recente com 1.700 líderes financeiros globais, 40% das equipes financeiras dedicam mais de 10 horas por mês tratando erros ou discrepâncias para reconciliar dados.

Uma razão para a complexidade contábil é que muitas empresas não recebem o pagamento do cliente ao mesmo tempo em que entregam os bens e serviços vendidos. Para empresas que atuam nos mercados B2B e B2C operando modelos de assinatura ou oferecendo diversas opções de pagamento (especialmente empresas que aumentaram as operações), o cenário de receitas é ainda mais complexo. O pagamento e a execução podem ocorrer meses, ou até anos, depois da venda. Como você contabiliza essa receita?

Existem vários princípios contábeis geralmente aceitos que regem como a receita é contabilizada em diferentes cenários e, portanto, devem ser estritamente cumpridos pelas empresas. Um desses princípios é o reconhecimento de receitas, que determina como e quando a receita é registrada nas demonstrações financeiras da empresa. Um dos métodos comuns de reconhecimento de receitas envolve a receita acumulada.

Compreender como a receita acumulada influencia o cenário financeiro mais amplo de uma empresa é importante para criar uma abordagem estratégica para a contabilidade. Confira a seguir uma visão geral de tudo o que você precisa saber sobre receita acumulada: o que é, como registrá-la, a importância dela na contabilidade, como ocorre em diferentes setores e o impacto que pode ter sobre as demonstrações financeiras de uma empresa. O reconhecimento de receitas raramente é simples, mas é administrável quando você entende a abordagem correta.

O que é abordado neste artigo?

  • O que é receita acumulada?
  • Qual é o princípio do regime de competência?
  • Qual é a diferença entre receita acumulada e contas a receber?
  • Receita acumulada vs. receita diferida
  • A receita acumulada é um ativo ou um passivo?
  • Exemplos de receita acumulada
  • Como registrar receita acumulada

O que é receita acumulada?

Receita acumulada é aquela que a empresa já obteve, mas que ainda não foi paga. Esse tipo de receita ocorre quando a empresa presta um serviço ou entrega um produto antes de faturar o cliente. Em termos contábeis, é considerada um ativo até que a empresa fature o cliente e receba o pagamento.

Por exemplo, uma empresa pode prestar serviços de consultoria a um cliente em dezembro, mas não emitir a fatura correspondente até janeiro do ano seguinte. Nesse caso, a empresa registraria a receita como “acumulada” em dezembro e a reconheceria como “recebida” em janeiro, quando a fatura fosse paga.

Outro exemplo é uma empresa de SaaS que oferece um serviço baseado em assinatura mediante uma tarifa mensal ou anual. Se um cliente assinasse o serviço em dezembro, mas só fosse pagar a tarifa anual em janeiro do ano seguinte, a empresa registraria a receita como “acumulada” em dezembro e só a reconheceria como “recebida” em janeiro, quando o pagamento fosse efetuado.

A receita acumulada é um conceito essencial para a análise contábil e financeira, pois dimensiona a receita que uma empresa espera receber no futuro e, ao mesmo tempo, permite acompanhar o desempenho dela ao longo do tempo. Como a receita acumulada pode ter um impacto significativo sobre as demonstrações financeiras de uma empresa, é importante acompanhá-la e registrá-la com precisão.

Qual é o princípio do regime de competência?

As empresas devem gerenciar a receita acumulada de acordo com o princípio do regime de competência, um dos conceitos fundamentais da contabilidade. Esse princípio estabelece que as receitas e despesas devem ser reconhecidas nas demonstrações financeiras correspondentes ao momento em que são auferidas, independentemente da data efetiva do pagamento. Em outras palavras, o regime de competência se concentra no momento em que é entregue o bem ou serviço que gerou a receita, e não na data do pagamento.

De acordo com o princípio do regime de competência, a empresa deve registrar uma receita no momento em que fornece o bem ou serviço correspondente ao cliente, mesmo que ainda não tenha recebido o pagamento. Da mesma forma, a empresa deve registrar uma despesa no momento em que incorrer o custo, mesmo que ainda não tenha efetuado o pagamento. Isso fornece às empresas uma imagem mais precisa e completa do desempenho financeiro que apresentam e uma melhor compreensão da posição financeira global delas.

O regime de competência é composto pelos seguintes princípios:

  • Reconhecimento de receitas
    A receita deve ser reconhecida ao ser auferida, independentemente da data efetiva do pagamento.
  • Princípio da correspondência
    Deve haver uma correspondência perfeita entre as despesas e as receitas correspondentes no mesmo período.
  • Princípio do conservadorismo
    As receitas e os ganhos devem ser registrados apenas quando forem razoavelmente certos, e as despesas e perdas devem ser registradas quando forem prováveis.
  • Princípio de continuidade
    Deve-se presumir que uma empresa continuará em operação no futuro próximo e que não sofrerá liquidação ou falência.

O princípio do regime de competência é amplamente utilizado por empresas de todos os tamanhos, em diferentes setores. Ele fornece uma representação abrangente da posição financeira de uma empresa, o que ajuda investidores, analistas e outras partes interessadas a tomar decisões fundamentadas sobre a empresa.

Qual é a diferença entre receita acumulada e contas a receber?

Tanto a receita acumulada quanto as contas a receber estão relacionadas a receitas que a empresa obteve, mas cujo pagamento ainda não foi efetuado. Elas representam diferentes estágios no processo de reconhecimento de receitas.

Confira a seguir as principais diferenças:

  • A receita acumulada é reconhecida ao ser auferida, enquanto as contas a receber são reconhecidas mediante a emissão da fatura correspondente.
  • Tanto a receita acumulada quanto as contas a receber são consideradas ativos no balanço patrimonial, mas são listadas separadamente.
  • A receita acumulada é reconhecida na demonstração de resultados da empresa sob o título “receitas a realizar”, enquanto as contas a receber são reconhecidas sob o título “contas a receber” ou “recebíveis comerciais”.

Receita acumulada vs. receita diferida

Receita acumulada e receita diferida são conceitos semelhantes, mas com significados ligeiramente diferentes. A principal diferença é que a receita acumulada é reconhecida ao ser auferida, independentemente da data efetiva do pagamento, ao passo que a receita diferida é reconhecida na data do pagamento, independentemente de quando foi auferida.

A receita diferida normalmente ocorre quando uma empresa recebe um adiantamento por um serviço que será prestado no futuro. Nesse caso, a empresa terá um passivo no balanço patrimonial e não registrará a receita até que o serviço seja prestado.

Ao contrário da receita acumulada, a receita diferida é considerada um passivo porque a empresa tem a obrigação legal de fornecer o produto ou serviço no futuro. É registrada como “receita a realizar” na demonstração de resultados.

Em um modelo de assinatura SaaS, a receita diferida pode ocorrer de algumas maneiras distintas:

  • Assinatura anual
    Se uma empresa de SaaS oferecer uma assinatura anual com desconto e um cliente pagar o valor total antecipadamente, a empresa reconhecerá a receita ao longo do ano à medida que presta o serviço ao cliente.

  • Assinatura pré-paga
    Se a mesma empresa de SaaS oferecer uma assinatura pré-paga na qual um cliente pague antecipadamente por vários meses de serviço, a empresa deverá reconhecer a receita ao longo do período pré-pago à medida que cumpre sua obrigação para com o cliente.

Em ambos os exemplos, o cliente já pagou pelo serviço, mas a empresa ainda não obteve a receita pela prestação do serviço. Portanto, o valor é registrado como “receita diferida”. A receita diferida será reconhecida como receita realizada no futuro, quando a empresa prestar o serviço ao cliente. Isso segue o princípio do regime de competência, que estabelece que a receita deve ser reconhecida quando auferida, independentemente da data efetiva do pagamento.

A receita acumulada é um ativo ou um passivo?

A receita acumulada é reconhecida como ativo no balanço patrimonial, pois representa uma receita auferida, mas que ainda não foi recebida. Como a empresa já forneceu os bens ou serviços associados à receita, sua obrigação foi cumprida, o que significa que ela pode contabilizar a receita como ativo, em vez de passivo. A receita acumulada é considerada um ativo circulante, pois espera-se que seja cobrada em, no máximo, um ano.

O registro e o acompanhamento adequado da receita acumulada dependem de como ela é tratada à medida que o tempo passa e os pagamentos começam a ser efetuados. A receita acumulada é normalmente registrada como débito na conta de “receita acumulada” e como crédito na conta de “vendas” ou “receita”, e o valor da receita acumulada é ajustado periodicamente para refletir o valor atual da receita auferida, mas ainda não recebida. Uma vez recebida a receita, seu valor é deduzido da conta “receita acumulada” e somado à conta “caixa”, resultando no aumento do saldo em caixa da empresa.

Por exemplo, digamos que uma empresa forneça um serviço de assinatura aos clientes por US$ 100 ao mês. No início de janeiro, a empresa conta com 100 clientes que aderiram ao serviço e pagam mensalmente. Ao final de janeiro, a empresa prestou o serviço do mês, mas ainda não recebeu o pagamento dos clientes.

Nesse caso, a empresa reconheceria US$ 10.000 (US$ 100 x 100 clientes) como receita acumulada no balanço patrimonial ao final de janeiro, pois obteve a receita, mas ainda não recebeu o pagamento. A empresa registraria um débito de US$ 10.000 na conta “receita acumulada” e um crédito de US$ 10.000 na conta “receita”.

Ao final de fevereiro, a empresa ajustaria novamente a conta “receita acumulada” para refletir o valor atual das receita auferida, mas ainda não efetivamente recebida. Imagine que em fevereiro um dos clientes cancela a assinatura e outro não efetua o pagamento da conta mensal. A empresa deduziria US$ 200 (US$ 100 da assinatura cancelada e US$ 100 do cliente inadimplente) da conta “receita acumulada” para refletir o valor atual das receitas a serem arrecadadas. A empresa registraria, então, um débito de US$ 200 na conta “despesas com dívidas inadimplentes” e um crédito de US$ 200 na conta “receita acumulada”.

Se todos os clientes pagassem suas contas em dia em março, a empresa deduziria US$ 10.000 da conta “receita acumulada” e registraria um débito de US$ 10.000 na conta “caixa”. O processo de ajuste da conta “receita acumulada”, para refletir o montante atual de receitas auferidas, mas ainda não recebidas, continuaria ao longo dos meses.

Exemplos de receita acumulada

A receita acumulada é comum em muitos setores e pode ter um grande impacto nas demonstrações financeiras das empresas em todos os estágios de crescimento. A receita acumulada pode aparecer de diferentes maneiras, dependendo do tipo de empresa, do que ela oferece e de como estrutura a relação com os clientes e o sistema de pagamentos.

Confira a seguir alguns exemplos de receita acumulada em diferentes setores:

  • Serviços de consultoria
    Uma empresa de consultoria presta serviços a um cliente em junho, mas só emite a fatura correspondente em fevereiro do ano seguinte. Nesse caso, a empresa de consultoria registraria a receita como “acumulada” em junho e a reconheceria como “recebida” em fevereiro, quando a fatura fosse paga.

  • Assinaturas de software
    Uma empresa de software conquista um novo cliente que paga antecipadamente uma assinatura de um ano. A empresa reconhece a receita mensalmente, à medida que os serviços são prestados.

  • Construção
    Uma construtora fecha um contrato para construção de uma casa e recebe um depósito. Se os trabalhos não forem concluídos até o próximo período financeiro, a receita será acumulada como auferida, mas ainda não recebida.

  • Publicidade
    Uma agência de publicidade é contratada para realizar uma nova campanha publicitária no próximo trimestre. Se o cliente pagar antecipadamente pelo serviço, a receita será acumulada como auferida, mas ainda não recebida.

  • Seguros
    Uma seguradora recebe o prêmio de um cliente por uma apólice que fornece cobertura por um ano inteiro. A empresa reconhecerá a receita mensalmente, à medida que os serviços forem prestados.

  • Marketplaces on-line
    Um marketplace on-line permite que empresas individuais listem seus produtos para venda na plataforma, e o marketplace cobra das empresas uma comissão por cada venda efetuada. Se uma empresa fizer uma venda em março, mas não pagar a tarifa ao marketplace até janeiro do ano seguinte, a tarifa será registrada como “acumulada” em março e reconhecida como “recebida” em janeiro, quando o pagamento for efetuado.

Como registrar receita acumulada

Uma coisa é compreender o princípio da receita acumulada, outra completamente diferente é implementar uma prática contábil que reflita esse entendimento. Confira a seguir as principais etapas do processo de registro de receita acumulada:

1. Identificar a receita

O primeiro passo é identificar a receita que a empresa obteve, mas cujo pagamento ainda não foi recebido. Isso pode incluir serviços ou produtos entregues ou assinaturas habilitadas, mas ainda não faturados.

2. Criar entrada no balanço patrimonial

Depois de identificar a receita, registre-a criando uma entrada no balanço patrimonial. Essa entrada normalmente envolve um débito na conta “receita acumulada” e um crédito na conta “receita”.

3. Atualizar as demonstrações financeiras

A nova entrada atualizará o balanço patrimonial refletindo a receita acumulada e também atualizará a declaração de receitas refletindo a receita auferida.

4. Enviar a fatura ao cliente

Após registrar a receita acumulada, emita a fatura ao cliente pelo produto ou serviço fornecido.

5. Registrar o pagamento

Após receber o pagamento do cliente, você deve reconhecer a receita como recebida. Registre o pagamento em uma nova entrada no balanço patrimonial. Isso geralmente envolve debitar da conta “caixa” e creditar na conta “receita acumulada”.

Devido à complexidade do gerenciamento do reconhecimento de receitas, e à importância de fazê-lo da maneira correta, muitas empresas buscam soluções como o Stripe Billing para aperfeiçoar suas demonstrações contábeis e financeiras. A Stripe simplifica o reconhecimento de receitas sem exigir tempo adicional de engenharia ou configurações demoradas, oferecendo ferramentas como resumos de receitas reconhecidas e diferidas, relatórios contábeis para download, números de receitas interativos e regras configuráveis de reconhecimento de receitas e controles de período contábil.

Para mais informações sobre como o Stripe Billing dá suporte a receita acumulada, comece aqui.

Vamos começar?

Crie uma conta e comece a aceitar pagamentos sem precisar de contratos nem dados bancários, ou fale conosco para criar um pacote personalizado para sua empresa.